RssVideosHomilaArtigos

HomilaLinha

Meditação do Primeiro Mistério glorioso

A Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo

Convém que o Filho do homem seja entregue nas mãos dos pecadores, e ressuscite ao terceiro dia. (Lc 24, 7)

Eu sou a ressurreição e a Vida. Todo aquele que crê em mim, mesmo que esteja morto, viverá. (Jo 11, 25). 

Pe. João S. Clá Dias

Oração Inicial:

Ó Virgem Santíssima, Vós que aparecestes em Fátima mostrando vosso Sapiencial e Imaculado Coração; Vós que sois a Mãe da Graça, que sois a Mãe do Ressuscitado; Vós que misticamente tivestes em vosso Coração a Ressurreição de vosso Filho; Vós queacompanhastes passo a passo vosso Filho que desceu ao túmulo e depois dele ressurgiu, nós estamos aqui para realizar esta meditação deste Primeiro Sábado e vamos pedir a vossa dadivosidade para que obtenhais do Sagrado Coração de Jesus ressurrecto as melhores e mais belas graças, as mais eficazes graças, para que de fato nós possamos reparar o vosso Imaculado Coração.

Cabe-nos hoje — uma vez que estamos na segunda Semana da Páscoa, --cabe-nos meditar sobre a Ressurreição de Nosso Senhor. É um dos mistérios do Rosário essa ressurreição retumbante, e nós queremos considerá-la para assimmelhor reparar as ofensas feitas contra o vosso Imaculado Coração.

Ave Maria,...

Introdução:

Maria, o sacrário de Jesus

Jesus viveu em Maria; o Verbo de Deus resolveu tomar um corpo humano em seu seio, e nele permaneceu nove meses. E, de Maria, Jesus quer se comunicar aos homens.

Ela é o santuário de dentro do qual todas as graças se difundem para o gênero humano. Por isso, devemos rezar a Jesus enquanto vivendo em Maria, porque Ele quer ser invocado dentro do seu templo, que é a Santíssima Virgem Maria. Nossa Senhora é o sacrário onde está Nosso Senhor Jesus Cristo; diz a conhecida Oração a Jesus vivendo em Maria: Ó Jesus que viveis em Maria, vinde e vivei em vossos servos, no espírito de vossa santidade.

Comenta São Gregório:

Salve, templo vivo da Divindade! Salve, casa equivalente ao Céu e à Terra! Salve, templo digno de Deus!

I - Coração de Maria - um tabernáculo vivo

Quando Jesus morreu havia alguém que estava com o tabernáculo dentro de si:Nossa Senhora.

Tendo comungado na Santa Ceia, a Eucaristia permaneceu em Maria, e Ela teve esse dom.

Há um princípio geral em Mariologia que reserva à Mãe de Deus o privilégio de ter ela recebido no mais alto grau todos os dons e benefícios conferidos aos santos e que Lhe sejam convenientes. Por exemplo, não teria sentido o Salvador aparecer aos apóstolos, discípulos e santas mulheres, sem ter antes aparecido a sua Mãe Santíssima.

A teologia nos diz isso: Nossa Senhora tem todos os dons que foram dados a todos os santos durante a história. Os dons que a Ela convém ter, Ela os teve, e teve em grau máximo.

Sabemos que vários santos tiveram esse dom que é de ao comungar conservar em si a Eucaristia, como se fosse um tabernáculo. Certamente também assim foi com Nossa Senhora, desde o momento em que comungou no cenáculo teve em si a Nosso Senhor Jesus Cristo Eucarístico.

1 – As trevas e a Luz

Quando Nosso Senhor Jesus Cristo morreu na cruz, as trevas invadiram a Terra. Nossa Senhora que estava em sua habitação deve ter visto os raios luminosos, os fulgores todos da aparição de Nosso Senhor. Mas esses fulgores começaram a se fazer sentir já no túmulo quando Ele ressuscitou.

2 - A primeiríssima aparição

Nosso Senhor imediatamente apareceu a Ela, porque dada a relação que existia entre Nosso Senhor e Nossa Senhora, imediatamente Jesus apareceu a Nossa Senhora para dizer a Ela que tinha ressuscitado, pois, não teria sentido o Salvador aparecer aos apóstolos, discípulos e santas mulheres, sem ter dado a primazia à sua Mãe Santíssima.

II- O que significa a Ressurreição de Nosso Senhor?

Nosso Senhor havia perdido o seu Sangue, tinham-nO flagelado; havia carregado a Cruz às costas e sido pregado na Cruz. Entretanto, quando Ele ressuscita não Lhe faz falta o Sangue. Ele ressuscita íntegro e mais ainda do que íntegro, ressuscita belissimamente: com um fulgor extraordinário porque o Corpo que Ele readquire é o Corpo glorioso. Neste Corpo temos maravilhas, porque Ele é ágil, não tem peso, pode se deslocar com a velocidade de um pensamento. Esse Corpo é impassível, não sofre mais e fica impossibilitado de sofrer qualquer agressão. Além disso é luminoso, Ele se veste e se reveste da maneira que Ele queira. Seria a imagem do corpo quando nós ressuscitarmos?

1- Uma questão: mas nós iremos ressuscitar?

Nós poderíamos perguntar: mas eu vou ressuscitar? Se eu morro agora e o mundo demora ainda cinco mil anos onde vai parar a poeira do meu corpo? Onde pararão os meus ossos, os meus cabelos? O que vai acontecer com tudo aquilo que é meu?

Será a mesma coisa que aconteceu com o sangue de Nosso Senhor. O preciosíssimo sangue de Jesus foiabsorvido pela terra. E, entretanto, ele ressuscita integramente. É assim que nós vamos ressuscitar. Nós ressuscitaremos da forma mais esplendorosa possível. Nós não fazemos idéia. Na nossa ressurreição, não fazemos idéia da beleza do fulgor de nosso corpo.

No dia do Juízo nós reclamaremos nossos corpos. Não há prova racional de que ressuscitaremos.Nossa razão aí falece porque nós não temos prova para dizer que vamos ressuscitar. Essa prova racional não existe. Tanto assim é que, no último artigo da nossaprofissão de fé, diz:

Creio na ressurreição da carne e na vida eterna.Amém.

Ressurreição da carne

Eu creio que vou ressuscitar.Por que creio? Creio porque faço parte do Corpo Místico de Cristo. Nosso corpo é todo ele muito bem estudado. Tudo funciona da melhor forma possível. Se eu como uma fruta, ou carne, arroz e feijão, etc:meu organismo assimila aquilo de que ele tem necessidade. E, se eu preciso recuperar uma ferida que eu fiz, ele saberá tomar desses alimentos e alimentar as células que vão trabalhar nessa cicatrização. Não há possibilidade de o meu organismo tomar as células que produzem e alimentam as unhas, para fazerem a recuperação de uma ferida noutra parte do meu corpo.

Esse corpo o que é? É uma imagem do Corpo Místico de Cristo, quando estamos em estado de graça, batizados em estado de graça. E, portanto, pertencemos a Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele, Nosso Senhor é a Cabeça de nosso corpo, e nós fazemos parte do Corpo Místico dEle.

Ora, não é possível que a cabeça ressuscite como ressuscitou (nossa cabeça mística, que é) Nosso Senhor Jesus Cristoe o resto do corpo fique monstruosamente na morte. Por causa da Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo é que nós ressuscitaremos também.

Nós não temos direito de exigir a nossa ressurreição, porque em primeiro lugar a nossa alma não necessitaria do nosso corpo estando na visão beatífica. Em segundo lugar nós não podemos estar reclamando aquilo que nós perdemos no Paraíso com o pecado de Adão e Eva. Nós obtivemos isto com a morte e a ressurreição de Nosso Senhor. É por isso que a Liturgia diz que a morte de Nosso Senhor comprou-nos a Vida. Ele morrendo deu-nos a Vida, porque é pela morte dEle e ressurreição dEle que nós vamos ressuscitar. Então se Jesus Cristo realmente ressuscitou essa Festa da Ressurreição não é só dEle, essa festa não é só da Cabeça que é Ele, mas é do corpo que somos nós, e, portanto essa Páscoa que estamos celebrando é uma festa antecipativa da nossa ressurreição.

Nós também vamos ressuscitar, porque Ele ressuscitou!.

2 - A nossa alegria nesta Páscoa.

Vamos tirar as conclusões deste ponto da meditação. Quantas vezes vamos observando o desenvolvimento denosso organismo. Nós temos 15 anos, 16 anos, 17 anos, 18 anos: aquela vitalidade. Depois vamos crescendo um pouco mais. Quando chegamos aos trinta anos estamos numa plenitude de força, de energia. Então, já temos uma série de raciocínios bem preparados. Já conseguimos analisar isto, aquilo; possuímos a experiência da vida. Mas aos trinta e cinco e depois aos quarenta, aos quarenta e cinco..., cinqüenta... sessenta, bom, vamos parar por aí.

Depois dos sessenta anos começa-se a ver o organismo desmanchar-se como um sorvete ao sol. Então é a dor na coluna é a dor no joelho, mas enfim e a gente começa a lembrar dos tempos... abre um álbum de fotografias e começa a passear por aqueles tempos quando tínhamos completado doze anos, quinze anos, vinte anos oh! que bons tempos!

Não é possível que sendo nós membros vivos de Deus, - porque São Paulo diz isso: "e não sabeis que sois templos vivos de Deus?",- Deus destrua esses templos que somos nós. Nós passamos pela morte, mas passamoscom a esperança na Ressurreição de Nosso Senhor, nesse mistério que nós contemplamos no Rosário para desagravar o Imaculado Coração de Maria. A Ressurreição de Jesus é a nossa ressurreição. Também ressuscitaremos e essa é a alegria que devemos ter nesse período de Páscoa.

Na Eucaristia vamos comungar o Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Nosso Senhor. Pois bem, esse Corpo que estará aqui debaixo das Sagradas Espécies é o Corpo glorioso e ressurrecto deNosso Senhor Jesus Cristo. Nós vamos ter a alegria de comungar o Corpo ressuscitado de Nosso Senhor.

III- Maria Madalena: Arauto da boa nova da Ressurreição!

Por uma determinação divina, a pregação do evangelho desde seu nascedouro compete aos homens. Entretanto, a História registra algumas poucas, mas comovedoras, exceções como essa contida no seguinte versículo: (Jo 20, 1-2):

No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro, de manhã, sendo ainda escuro,e viu a pedra retirada do sepulcro. Correu então, e foi ter com Simão Pedro e com o outro discípulo a quem Jesus amava, e disse-lhes: Levaram o Senhor do sepulcro e não sabemos onde O puseram.

Vemos acima a solicitude extraordinária de Santa Maria Magdalena, a diligência com que ela corre ao túmulo para tentar embalsamar um pouco mais, para perfumar ainda mais o Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo. Trata-se da primeira e fundamental verdade do evangelho; para comunicá-la aos apóstolos, Deus não escolhe um anjo e nem sequer um homem. É a Madalena (alma piedosa, cheia de fogo, entusiasmada), que será o arauto da boa nova da ressurreição do Senhor.

É sábado, não podia se movimentar porque era dia do Senhor, e ela era obrigada a guardar o sábado, ela não podia ficar fazendo grandes caminhadas. Mas assim que terminou o sábado e que começou a madrugada, ela aflita, ansiosa, se movimentou em direção ao túmulo. E, quando lá chegou, viu o túmulo aberto e vazio. Ela, que ao se aproximar do túmulo não sabia como fazer para tirar aquela laje enorme que o fechava,entretanto, quando ela chega ao túmulo, a laje estava no chão e ela olha e não vê nada lá dentro. Corre para avisar São Pedro e São João. Com seu ardor sem medidas, Madalena contagiou os apóstolos, e eles, se associaram nos mesmos sentimentos de amor, temor e esperança, partem cheios de ânimo. Ambos correm ao Santo Sepulcro.

Terminemos esta meditação e peçamos a Nossa Senhora graças sobre graças para dela tirarmos todo o proveito:

Oração final

Ó Virgem Santíssima, Vós que em vosso Coração tivestes a alegria de contemplar a Ressurreição de vosso Divino Filho, nós Vos pedimos graças sobre graças para nunca esquecermos que é pela ressurreição de Nosso Senhor que nós no dia do Juízo Final ressuscitaremos para estar convosco, já não mais só com a alma mas também como o nosso corpo glorioso.

Desde já, Mãe Santíssima nós reconhecemos que nossa ressurreição tem na sua base as vossas orações, as vossas lágrimas. É pela vossa intercessão que nós ressuscitaremos do lado dos bons no dia do Juízo. Nós Vos agradecemos Santíssima Virgem por estas graças todas que nos concedeis a cada um de nós rumo a nossa ressurreição,e Vos pedimos que nos acompanheis passo a passo até aquele dia.Assim seja.

Coração de Maria, restituído à alegria pela Ressurreição de Jesus!

Rogai por nós!

(Texto sem revisão do autor)

Pe. João Clá Dias

Índice de Homilias | Home

Copyright© Arautos do Evangelho 2008. Todos os direitos reservados.
Divulgação autorizada, citando a fonte.